REUTERS/Brendan McDermid
REUTERS/Brendan McDermid

Motorista da Uber é morto ao entrar por engano em região metropolitana do Rio

Ele teria entrado na comunidade Palmeira com os vidros do carro fechados e o pisca desligado, o que contraria "orientação dos traficantes" locais

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2018 | 11h41

RIO - Um motorista da Uber foi assassinado na quarta-feira, 18, quando entrou por engano em uma favela de Niterói, na região metropolitana do Rio. Temendo um ataque de rivais, criminosos da comunidade Palmeira, que fica no bairro Fonseca, dispararam contra o Cobalt branco dirigido por David Francis Silva Soares, de 38 anos.

Os traficantes colocaram o corpo de David no banco de trás do veículo e o levaram para uma comunidade vizinha, Engenhoca,  onde criminosos estão em guerra com a quadrilha que domina a Palmeira. O objetivo teria sido confundir os policiais com relação à autoria do crime.

Segundo policiais, o motorista teria entrado na área com os vidros fechados e o pisca alerta desligado,  o que “violaria” orientações passadas por criminosos para quem entra no local.  Ele estaria em deslocamento para buscar um passageiro.

Em nota, a Polícia Militar informou que a vítima foi encontrada “já em óbito no interior de um veículo”.

A Polícia Civil informou que “a vítima era motorista de um aplicativo e ao entrar no Morro da Palmeira, no Fonseca, na Zona Norte de Niterói, para buscar um passageiro sem ligar o alerta do veículo, David acabou baleado por traficantes da que atuam nessa comunidade”.

+++ Tiroteios na região metropolitana do Rio aumentam 82% neste ano

“Em constantes guerras pelo controle das bocas-de-fumo da região com integrantes de uma facção criminosa, estes suspeitaram que havia rivais dentro do Cobalt branco”, informou em nota a Polícia Civil.

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHDGI) faz operação, na manhã desta quinta-feira, 19, para tentar prender os autores do crime.

Uber.  A Uber soltou a seguinte nota sobre o caso: "Estamos chocados em saber deste crime terrível. Compartilhamos nossos sentimentos de mais profundo pesar com a família do motorista parceiro David Silva Soares neste momento de dor. A Uber permanece à disposição das autoridades para colaborar com as investigações, na forma da lei, e esperamos que as autoridades tragam o responsável à justiça o mais rápido possível. "

Mais conteúdo sobre:
Uber Rio de Janeiro [estado] homicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.