ESTADÃO
ESTADÃO

Motoristas furam blitz da Lei Seca e provocam acidentes no Rio

Em Nova Iguaçu, uma mulher morreu em acidente provocado por um cabo da PM que tentou fugir do bloqueio policial

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

07 Julho 2018 | 11h31

RIO - Uma mulher morreu e um PM teve a perna amputada em dois acidentes provocados por pessoas que furaram blitz da Lei Seca no Estado do Rio, na noite desta sexta-feira, 6. 

Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o cabo da PM Carlos Eduardo Guimarães Teixeira transitava com sua caminhonete pela rua Lampadosa, no bairro Vila Nova, quando recebeu a ordem de parar numa blitz. Ele decidiu fugir e acabou batendo em uma moto que transportava duas pessoas. Uma mulher morreu no local do acidente.

A outra pessoa se feriu e foi levada para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, conhecido como Hospital da Posse. Até a manhã deste sábado, 7, não havia informações sobre o estado de saúde desse ferido e o nome das vítimas não havia sido divulgado.

O PM, que trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Coroa/Fallet/Fogueteiro, no centro do Rio, foi preso em Mesquita, município vizinho. A Corregedoria da Polícia foi acionada. Até a manhã deste sábado não havia informações sobre a razão que levou o policial a ignorar a blitz.

Perna amputada

Em São Conrado, na zona sul do Rio, um homem trafegava pela auto-estrada Lagoa-Barra quando foi orientado pelo sargento Marcio Luiz Marmelo do Vale a parar em uma blitz da Lei Seca. Ele não obedeceu e atropelou o PM, que teve a perna amputada.

O motorista ainda bateu num Ford Ecosport vermelho dirigido pelo motorista de van Jurandir Antônio da Silva, de 66 anos, e capotou. Silva sofreu apenas escoriações. O motorista causador do acidente também se feriu.

Todos foram conduzidos ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea (zona sul), onde o sargento foi operado e amputou a perna. Silva foi medicado e liberado, e o motorista que tentava fugir da blitz foi internado sob custódia, já que está preso em flagrante. Ele aparentava estar embriagado. Seu nome não havia sido divulgado até a manhã deste sábado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.