MP denuncia por racismo pedagoga que xingou mulher em praia do Rio

Sonia Valeria Rebello Fernandez foi filmada enquanto proferia ofensas na Praia da Reserva, zona oeste da capital fluminense

Vitor Tavares, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2016 | 20h15

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou nesta quinta-feira, 29, a pedagoga Sonia Valeria Rebello Fernandez pelos crimes de racismo, injúria racial e ameaça. A denunciada foi flagrada em um vídeo que viralizou nas redes sociais xingando três banhistas na praia da Reserva, na zona oeste do Rio.

Sonia chegou a ser presa em flagrante no dia 28 de agosto, mas foi solta após pagar uma fiança de R$ 500. Na denúncia, o promotor Guilherme Soares Barbosa destacou as ofensas proferidas pela pedagoga, que disse ser preconceituosa, racista, descendente de alemã e que "negro era uma sub-raça" e "não era para estar na praia pegando sol, pois preto não precisa pegar sol".

O MPRJ destaca ainda que as ofensas começaram antes de o vídeo ser gravado, mas, mesmo assim, Sonia não interrompeu o ataque racista.

Além de injúria racial, a pedagoga vai responder por ter praticado discriminação e preconceito de raça e cor e por ter ameaçado as vítimas ao dizer que era da milícia e se vingaria se o caso fosse registrado na polícia. O crime prevê pena de um a três anos de reclusão, além de multa.

Entenda o caso. No dia 28 de agosto, a agente de viagens Sulamita Mermier, de 31 anos, chegou à praia por volta das 13h30, acompanhada por duas amigas, e, logo que se instalaram na areia, uma mulher que estava ao lado começou a fazer críticas aos negros, em voz alta. 

Uma das amigas de Sulamita foi à Polícia Militar e, após mais de três horas de ofensas, a pedagoga foi levada à 16ª DP (Barra da Tijuca), onde o caso foi registrado como injúria e injúria racial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.