Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Com granada e arma de choque, PM encerra sequestro no Rio

Mulher estava sendo ameaçada com uma faca por homem com quem mora há cerca de dois anos. Ninguém ficou ferido

Fabio Grellet, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2020 | 15h54
Atualizado 04 de setembro de 2020 | 20h21

RIO - Três horas e meia depois que um homem rendeu a própria mulher dentro de uma lanchonete na Tijuca, na zona norte do Rio de Janeiro, a Polícia Militar usou uma granada e uma arma de choque para distrair e imobilizar o criminoso, às 15h48 desta sexta-feira, 4, e encerrar o sequestro. Segundo a PM, ninguém se feriu.

O homem havia rendido a mulher usando uma faca da própria lanchonete, por volta de 12h15. Além dela, três funcionários internos da lanchonete ficaram presos no estabelecimento durante a negociação. Aparentando problemas psicológicos, o rapaz não fazia nenhuma exigência. Segundo uma sobrinha da vítima, eles moram em Valença, no sul fluminense, e moram juntos há cerca de dois anos. Ela disse que a tia tem 58 anos.

Apos três horas e meia de negociação, a PM explodiu uma granada para desviar a atenção do criminoso, e em seguida o rendeu com cães treinados e arma de choque. Tanto ele como a vítima receberam atendimento médico no local, mas nenhum deles se feriu, segundo a corporação. 

O homem que rendeu a mulher se chama Paulo Roberto Gonçalves. De acordo com a PM, ele havia sido condenado por roubo e estava cumprindo pena em regime semiaberto, mas havia dois dias que não se apresentava ao presídio. Por isso, a mulher estava tentando convencê-lo a voltar à cadeia, quando ele se irritou e a rendeu usando a faca da lanchonete.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.