Mulher é presa por torturar e permitir abuso sexual da filha de 7 anos, diz Polícia

A delegada Juliana Emerique de Amorim Coutinho pediu a prisão da mulher e teve a solicitação aceita pela Justiça

Mariana Sallowicz, O Estado de S.Paulo

26 Dezembro 2016 | 00h29

RIO - A Polícia Civil do Rio informou que prendeu uma mulher por torturar e permitir que homens abusassem sexualmente da sua filha de 7 anos. Simone Machado Ponciano, 44 anos, é acusada dos crimes de estupro de vulnerável e tortura.

De acordo com a Polícia Civil, Simone foi presa em flagrante pelo crime de maus tratos contra a filha após ter a levado a uma unidade de atendimento médico no dia 5. Ela alegou que a criança tinha se ferido em uma queda, mas os profissionais da unidade acionaram a polícia após constatarem que as lesões não eram compatíveis com o alegado. O delegado de plantão autuou a mãe em flagrante pelos maus tratos.

A Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) recebeu o caso e deu início então às investigações. Foram observadas lesões sugestivas de abuso sexual na menina. Conforme apurado, Simone permitia que homens que frequentavam sua casa praticassem sexo e outros atos libidinosos com a criança. Segundo as investigações, entre eles estavam o avô de consideração e o pai da menina.

Uma testemunha afirmou à Polícia Civil que Simone dizia que a menina tinha sido estuprada e, por isso, tinha de sofrer. Ainda segundo o relato, a mulher agredia a filha com colher de pau, cabo de vassoura, panela, além de mordê-la. Além disso, relatou que certa vez Simone utilizou um alicate no ânus da filha. O médico que atendeu a criança informou que observou lesões nas nádegas e proximidades do ânus desta, compatíveis com pinças de um alicate.

A delegada Juliana Emerique de Amorim Coutinho, titular da DCAV, pediu a prisão da mulher com base nas provas reunidas e o pedido foi aceito pela Justiça. Ela foi presa.

Segundo a Polícia Civil, a criança segue internada, sem previsão de alta médica. Entre as lesões identificados, exames médicos apontaram fratura do osso nasal e enfisema profundo em partes moles na região cervical baixal. Simone já respondeu no passado por lesão corporal e maus tratos praticados contra uma de suas filhas, hoje maior de idade. Em 2011, foi condenada por tráfico de drogas.

A investigação segue em andamento para identificar os abusadores da criança e demais envolvidos. A Polícia Civil pede que quem tiver qualquer informação que possa colaborar com a investigação, pode entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cidadão (CAC) pelos telefones (21) 2334-8823 e 2334-8835, bem como pelo chat https://cacpcerj.pcivil.rj.gov.br.

Mais conteúdo sobre:
Polícia Civil Simone Justiça CAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.