Mulher fala do desespero das pessoas no catamarã acidentado

Ao menos 20 ficarm feridos no acidente; 'se estivéssemos de lado, acho que o barco tombaria', diz passageira

Solange Spigliatti, estadao.com.br

24 Abril 2008 | 15h09

A maioria dos passageiros do catamarã da empresa Barcas S.A. acidentado na manhã desta quinta-feira, 24, na baía de Guanabara, no Rio, ficou muito assustada, mas ninguém ficou gravemente ferido, segundo relatos de uma das passageiras. A embarcação estava entrando em mar aberto na baía, após sair de Niterói, por volta das 8 horas. O mar agitado produzia enormes ondas, que chegavam a três metros de altura, segundo relato de Mirela Calvi Nespoli, de 35 anos, que seguia para o trabalho, no Rio.   "Quando entramos em mar aberto, o catamarã começou a balançar muito, então o barco virou de frente para as ondas. Passamos por duas ondas muito grandes e, na terceira, a porta da frente foi atingida", explica Mirela. "Se estivéssemos de lado, acho que o barco tombaria".   Com o impacto, as portas laterais também abriram, permitindo a entrada da água na embarcação. "As pessoas que estavam na frente do barco ficaram muito molhadas, foi uma gritaria, muita gente nervosa e algumas ficaram machucadas", lembrou.   Segundo a passageira, os tripulantes começaram a pedir para que os passageiros se acalmassem, dando apoio aos mais nervosos. "Eles também correram para fechar as portas, mas em momento algum foi dado um aviso pelo sistema de comunicação da embarcação", garantiu Mirela. Os passageiros começaram então a colocar os salva-vidas. Alguns, de acordo com Mirela, tinham dificuldade em retirar os salva-vidas, que ficam amarrados embaixo das cadeiras.   Os passageiros começaram a se acalmar depois que o barco conseguiu entrar na parte mais fechada da baía, onde as ondas já tinham tamanho menor. Ao chegar no Rio, duas grávidas e outras duas pessoas foram encaminhadas ao hospital com ferimentos leves. Muitas pessoas, segundo Mirela, passaram mal por conta do susto. "Faço esse trajeto há muito tempo e nunca tinha visto o mar tão agitado", concluiu.

Mais conteúdo sobre:
mar agitado Rio cataramã Barcas SA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.