Google Street View / Reprodução
Google Street View / Reprodução

Mulher morre após policiais militares reagirem a assalto em ônibus na zona norte do Rio

Segundo a Polícia Militar, dois agentes à paisana que estavam no coletivo trocaram tiros com os assaltantes; outras duas pessoas ficaram feridas e os criminosos conseguiram escapar

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2019 | 09h52

RIO - Uma mulher que seguia para o trabalho morreu nesta quarta-feira, 5, atingida por um tiro no peito dentro de um ônibus da linha 383 (Realengo - Praça da República), em Campinho, na zona norte do Rio de Janeiro, depois que dois policiais militares à paisana reagiram a um assalto dentro do coletivo. Outras duas pessoas ficaram feridas. Os assaltantes conseguiram escapar.

O assalto foi anunciado por volta das 4h30 depois que dois homens embarcaram no ônibus lotado na Estrada Intendente Magalhães.

De acordo com a assessoria da Polícia Militar, dois PMs à paisana que estavam no ônibus reagiram e houve uma troca de tiros.

"Foi um susto. De repente, anunciaram o assalto", contou o motorista, que não quis se identificar, em entrevista ao jornal Extra. "Os passageiros começaram a gritar para abrir a porta e eu abri. Começou então uma troca de tiros. Uma mulher foi atingida e, infelizmente, morreu. Estou em choque."

Luzimar S. de Oliveira, que trabalhava como faxineira em uma academia de ginástica, tentou sair do coletivo, mas acabou sendo atingida. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas quando chegou ao local, ela já estava morta.

Gelson L. da Silva e Fabiano B. Santa Bárbara, que ficaram feridos, foram levados ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, zona norte da cidade. Ainda não há informações sobre o estado de saúde deles.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de Janeiro [cidade RJ]assalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.