Fernando Maia/Riotur
Fernando Maia/Riotur

Nem o Rei Momo sabe quando receberá as chaves do Rio no carnaval

A cerimônia simboliza a passagem da administração da cidade, que fica sob a regência de Momo até a madrugada de Quarta-Feira de Cinzas

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2017 | 12h01

RIO - A entrega das chaves da cidade para o Rei Momo está cercada de mistério no Rio de Janeiro. A prefeitura e a Riotur ainda não divulgaram o horário nem o local da cerimônia que, de acordo com a tradição, simboliza a passagem da administração da cidade, que fica sob a regência de Momo até a madrugada de Quarta-Feira de Cinzas. A programação do prefeito Marcello Crivella para os dias de festa também é mantida em sigilo.

Nem mesmo o cantor Fabio Arerê, que encarna pela primeira vez o Rei Momo, sabe a que horas vai receber a tão esperada chave. "Não tenho certeza. Acredito que seja às 18h na Assembleia Legislativa", afirmou. Arerê concorreu por quatro anos consecutivos para o cargo de Momo.

A prefeitura do Rio também não divulgou a programação do prefeito Marcelo Crivella no carnaval. O prefeito é bispo licenciado da Igreja Universal,  que condena a participação dos fieis na festa e recomenda que participem de cultos e reuniões religiosas. Ele já havia anunciado que viajaria para o exterior durante o carnaval. A Câmara dos Vereadores aprovou o afastamento do prefeito, uma exigência da Lei Orgânica da cidade, mas o local ainda não foi divulgado.

Crivella será o primeiro prefeito do Rio a deixar a cidade durante o carnaval no primeiro ano de seu mandato, desde a inauguração do sambódromo, em 1984. A expectativa é de que o vice-prefeito Fernando Macdowell faça a entrega das chaves às 18h, no Sambódromo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.