WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Mulheres fazem ato contra o machismo e por direitos no Rio

Grupo, que se reuniu na Candelária, pede a descriminalização do aborto e também faz críticas aos governos federal e estadual

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

08 de março de 2017 | 18h50

RIO - Uma multidão se reuniu nas imediações da igreja da Candelária, no centro do Rio, na noite desta quarta-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, para protestar contra o machismo e por diversas causas políticas. 

O ato é promovido por entidades de classe e estudantis e por partidos políticos. Até as 18h45 não havia estimativa de público. Cerca de 90% dos participantes são mulheres, que fazem discursos e gritam em coro palavras de ordem em favor da descriminalização do aborto, por outros direitos e contra o machismo. As críticas mais constantes são contra o governo do presidente Michel Temer e do governador Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB, contra a venda da companhia estadual de águas do Rio (Cedae) e contra a reforma da Previdência.

O grupo deve seguir pela avenida Rio Branco e depois pela rua da Assembleia até o Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa.

"Hoje é um dia importante, mas nossa luta é todo dia. Precisamos provar que não somos só peito e bunda. Pensamos, trabalhamos e temos direitos", afirmou Mara Silveira, 23 anos, estudante de Medicina na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.