Reprodução|Google Street View
Reprodução|Google Street View

Confronto com a polícia mata três traficantes no Rio

PM realizou operação contra o tráfico em Antares, na zona oeste; outros dois foram baleados

Lucas Gayoso, especial para O Estado, O estado de S. Paulo

17 de junho de 2017 | 10h52

RIO - Três suspeitos de tráfico de drogas foram mortos, na madrugada deste sábado, 17, durante uma operação da Polícia Militar na Favela de Antares, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Outros dois criminosos que exerciam cargos de chefia no tráfico das comunidades foram baleados durante o confronto.

Jaime de Souza Pires comandava o tráfico na Favela de Antares e Renato Gomes Batista chefiava o tráfico na Costa Verde.  Eles foram socorridos na Unidade de Pronto Atendimento (Upa) Cesarão, mas não resistiram. Um terceiro traficante, ainda não identificado, morreu durante o tiroteio.

Segundo o Centro de Operações Rio, há interdições na Avenida Antares, entre a Rua Felipe Cardoso e a Avenida Cesário de Melo, por conta da operação. O serviço BRT Transoeste está interrompido entre Santa Cruz e Campo Grande.

Por conta de um protesto, foram interditadas ruas na região e o tráfego do BRT TransOeste, entre Santa Cruz e Campo Grande. Quatro ônibus foram incendiados. Policiais do 27º Batalhão de Polícia Militar reforçaram o policiamento na região. Foram​ apreendidos pelo menos ​um fuzil, uma pistola e quatro granadas.

De acordo com a Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), neste ano, já foram registrados 64 casos de ataques a ônibus, um aumento de 156% em relação ao mesmo período de 2016, quando houve 25 registros. Este  foi o sexto ataque a coletivos na zona oeste somente nesta semana.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar também realizou uma operação no Morro do Turano, na zona norte do Rio, na manhã deste sábado. Dois suspeitos ficaram feridos e foram levados para o Hospital municipal Souza Aguiar, no centro. De acordo com a Polícia Militar, a troca de tiros começou após policiais serem atacados por traficantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.