No Rio, tiroteio volta a assustar moradores do Complexo do Alemão

Na quinta, tiroteios no conjunto de favelas deixaram uma mulher morta e dois PMs feridos; policiamento na região está reforçado

Idiana Tomazelli, O Estado de S. Paulo

21 Março 2015 | 10h27

RIO - Um intenso tiroteio voltou a assustar moradores do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, na manhã deste sábado, 21. Por volta das 5h30, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília entraram em confronto com criminosos no interior da comunidade. Até o momento, não há informações de feridos, segundo a polícia.


O Complexo do Alemão tem assistido a uma intensificação da violência e dos confrontos entre policiais e criminosos. Nas redes sociais, moradores relataram um forte barulho de tiros. "Intenso tiroteio agora pela manhã aqui no Complexo do Alemão", escreveu um deles. "78 dias com tiroteio no Complexo do Alemão e contando", postou outro ainda na noite de sexta, antes da última ocorrência.


Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, o policiamento está reforçado na região. Na última quinta-feira, 19, dois tiroteios no conjunto de favelas deixaram uma mulher morta e dois policiais militares feridos. À tarde, Vanessa Aparecida Abicassis, 38, foi baleada em uma localidade conhecida como Areal. Ela chegou a ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo do Alemão, mas acabou não resistindo aos ferimentos.


Na noite de quinta, um tiroteio deixou feridos dois policiais no Alemão. Eles foram atendidos no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, zona norte. A troca de tiros ocorreu em Canitar. Homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram ao local prestar apoio aos policiais da UPP da Fazendinha.


No início da semana, um policial militar também ficou ferido durante tiroteio no Alemão. Por volta das 20h de segunda-feira, 16, policiais da UPP da região foram recebidos a bala por criminosos armados no Largo da Pedra. Um dos PMs foi baleado na perna e encaminhado ao Hospital Central da PM, no Estácio, na zona norte da cidade.

Mais conteúdo sobre:
tiroteioRioComplexo do Alemão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.