Polícia identifica suspeitos de renderem PMs em UPP do Fallet

Policiais foram rendidos por traficantes e alguns estão recebendo assistência psicológica; negligência dos agentes é investigada

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2015 | 14h24

RIO - A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) já identificou, em seu setor de inteligência, os suspeitos de terem rendido cinco policiais militares em uma das bases da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fallet, em Santa Teresa (centro) na tarde da última sexta-feira, 26.

Em nota, a CPP diz ainda que os policiais militares foram presos e foram liberados na manhã deste domingo (28). Eles tiveram de ficar à disposição do Comando Geral da PM para prestar esclarecimentos. A 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar apura de houve negligência dos policiais no episódio. Alguns deles, segundo a CPP, vêm recebendo atendimento psicológico desde sexta-feira.

"Cabe esclarecer que não houve roubo de armas e munições e nem ataque às bases da UPP", diz a nota. Já os policiais afirmam que precisaram entregar suas armas a seis traficantes munidos de fuzis, mas que elas foram devolvidas depois de algum tempo.

Em ação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) na comunidade, dois homens foram detidos no início da noite de sábado (28). Uma pistola calibre 9mm foi apreendida.

Na última quinta-feira, um PM foi morto durante um ataque no Complexo de São Carlos, vizinho ao Fallet, e comandado por uma facção rival (Amigos dos Amigos). Tarsis Doria Noia, de 40 anos, levou um tiro no peito no Morro do Zinco e não resistiu.  A Justiça do Rio de Janeiro decretou na sexta-feira a prisão temporária, por 30 dias, de Denner de Almeida Barros, suspeito de ter matado o policial.

Violência no Alemão. Neste domingo, 28, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora de Nova Brasília, no Complexo do Alemão, foram recebidos a tiros por traficantes durante patrulhamento, por volta de 6h30 da manhã na localidade conhecida como Praça do Terço. Houve confronto, de acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora.

Em nota, a CPP afirmou ainda que não há informação sobre feridos. Policiais realizam buscas na tentativa de localizar os autores do ataque. O caso está sendo registrado na 45ª Delegacia de Polícia (Alemão).

Tudo o que sabemos sobre:
UPPviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.