Cedae/ Divulgação
Cedae/ Divulgação

Novo pede que Ministério da Economia intervenha em privatização da Cedae

Companhia, que ainda n ão foi privatizada, é alvo de críticas por crise no abastecimento; desde o começo do ano população reclama do gosto e odor das águas que saem das torneiras

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2020 | 15h52

BRASÍLIA - O líder do partido Novo na Câmara, deputado Paulo Ganime, pediu a intervenção do ministro da Economia, Paulo Guedes, para o Estado do Rio de Janeiro cumprir seu de Plano de Recuperação Fiscal e, por consequência, privatizar a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

Em 2017, o Rio de Janeiro entrou no Regime de Recuperação Fiscal. Foi feito um acordo com o governo federal para a suspensão do pagamento dos juros da dívida com a União. Uma das contrapartidas era a privatização da Cedae em um prazo máximo de três anos, que acaba agora em 2020.

A companhia ainda não foi privatizada e atualmente o Estado fluminense enfrenta problemas com a água desde o início de janeiro devido à presença de geosmina, um composto orgânico formado pela proliferação de algas, que deixa a água com cheiro e gosto de terra.

"Encaminhamos a indicação para que o ministério, no âmbito de sua competência, adote medidas necessárias ao efetivo cumprimento do acordo por parte do Estado do Rio de Janeiro", diz o deputado no pedido. "De maneira a garantir, não apenas a obtenção dos recursos necessários para que os compromissos assumidos com a União, como também as condições de prestação adequada dos serviços de água e saneamento à população".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.