Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

OAB diz que confrontos no Rio foram 'ataques terroristas'

Presidente da unidade carioca da instituição cobra ações policias que antecipem os atos criminosos

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

19 de outubro de 2009 | 17h53

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio (OAB/RJ), Wadih Damous, classificou os confrontos entre a polícia e as quadrilhas rivais no Estado, ocorridos no final de semana, de "ataques terroristas". A declaração foi divulgada por meio de nota nesta segunda-feira, 19. Ao menos 14 pessoas morreram no Morro dos Macacos, na zona norte carioca.

 

Veja também:

linkPressionado, Eduardo Paes garante segurança do Rio para 2016

linkMorre 3ª vítima de helicóptero abatido no Rio

linkNão vamos desanimar no combate à violência, afirma Lula

linkLula promete R$ 100 mi para reforçar polícia do Rio, diz Cabral

link"Estamos longe de dizer que o tráfico está acuado", diz Julita Lemgruber

linkEmprego das Forças Armadas no Rio não traria benefícios

link Para jornais, violência expõe desafio de Rio 2016

som ANÁLISE: Forças Armadas no Rio não trariam benefícios

 

Damous cobrou ações de inteligência e policiais antecipadas às dos criminosos. Para ele, a "proteção dos direitos civis e sociais das áreas sob disputa de domínio pelos criminosos requer fortes investimentos e também que o tráfico seja combatido com rigor, dentro dos procedimentos internacionalmente aceitos."

 

O presidente da OAB do Rio enfatizou que os confrontos provaram que as populações das áreas pobres não defendem o crime. "Essas milhares de famílias de trabalhadores são marginalizadas, mas pelo Estado. Somos todos cidadãos e queremos segurança, paz, proteção."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.