MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO
MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO

1º fim de semana de sol é tranquilo após reforço de policiamento no Rio

Cerca de 500 agentes da Guarda Municipal, Polícia Militar e Batalhão de Choque atuam entre Copacabana e Leblon

Antonio Pita , O Estado de S. Paulo

10 Outubro 2015 | 14h41

RIO - Mesmo com calor de 32°, o movimento nas praias da zona sul do Rio foi tranquilo na manhã deste sábado, dia 10. Primeiro fim de semana de sol após o reforço no policiamento na orla, para evitar arrastões e conflitos com gangues de autodenominados "justiceiros", poucas ocorrências foram registradas pela Polícia Militar. Cerca de 500 agentes da Guarda Municipal, PM e Batalhão de Choque atuam no policiamento ostensivo entre Copacabana e Leblon.

Pela manhã, um grupo de quatro jovens foi detido por porte de drogas, de acordo com agentes da Guarda Municipal. Na Lagoa, uma blitz policial apreendeu quatro motos por documentação irregular. Já no Arpoador, sede da Operação Verão na Zona Sul, três motos do Batalhão de Choque circulavam com os agentes empunhando fuzis.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) também montou três bloqueios e blitz policiais na Zona Sul para revistar ônibus procedentes da região norte da cidade - nenhuma ocorrência foi registrada. A PM também atuou em quatro pontos de controles na zona norte, no Complexo da Maré, Ramos, Méier e Olaria. 

"Os ônibus estão vazios, o tempo, encoberto, e o feriado diminuiu o movimento", afirmou a tenente Adriana Vista, responsável pelo bloqueio na Av. Princesa Izabel, em Copacabana. "Revistamos os ônibus para averiguar se há grupos fazendo algazarra ou menores desacompanhados", completou. 

Segundo a tenente, não há orientação para parar linhas específicas de ônibus. Mas, em cerca de 30 minutos, dois veículos da linha 474, procedentes do Complexo do Jacaré, foram interceptados. Três policiais faziam a revista, sem apoio de assistentes sociais. "Às vezes os motoristas fazem sinal quando há grupos com algazarra. Se há crianças, acionamos a secretaria que tem postos montados na praia", afirmou a policial. 

Uma passageira dos ônibus disse se sentir mais segura com as revistas. "Outro dia fui assaltada dentro do ônibus e tive três dedos quebrados. Acho ótimo essas revistas", afirmou a senhora, moradora do centro, sem se identificar. 

Na orla, cerca de 70 guardas municipais realizam fiscalização e monitoramento nas areias. No calçadão, policiamento era ostensivo principalmente entre Ipanema e o Arpoador, nos postos 7 e 8, com viaturas da PM, Guarda Municipal e Batalhão de Choque. 

"Nós mapeamos que os grupos se concentram nessas áreas", afirmou o major Bastos, responsável por coordenar a operação neste sábado. "O turista não vem ao Rio para tirar foto da praia com viatura, mas temos de garantir a tranquilidade", completou. 

Mais conteúdo sobre:
Rio Operação Verão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.