Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Outra menor pode ter sido abusada em episódio de estupro coletivo no Rio

Adolescente estava na casa no momento em que menina de 12 anos foi violentada; caso é investigado pela polícia

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2017 | 12h58

RIO - Os quatro adolescentes que estupraram uma menina de 12 anos podem também ter tentado abusar de outra menor de idade, que estava na casa. A garota é uma das testemunhas do caso, ocorrido em abril na Favela do Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. Ela já foi ouvida por policiais da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV).

"Ela é um pouco mais velha do que a vítima de estupro. Ainda precisamos ouvir os adolescentes para entender o que realmente aconteceu. A vítima de crime sexual tende a se retrair", afirmou a delegada Juliana Emerique, titular da DCAV. Foi instaurado inquérito para investigar se essa menina também foi estuprada. 

A delegada já sabe que o namorado da menina de 12 anos foi o responsável pelas filmagens do estupro. A família dele estaria, inclusive, negociando a apresentação do garoto à polícia. Além disso, segundo ela, os quatro adolescentes não têm envolvimento com o tráfico, que, ao saber do crime, os expulsou da Favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. As famílias dos adolescentes podem entrar no programa de proteção a testemunhas, já que não conseguem voltar para suas casas. "São pessoas simples, religiosas, que estão assustadas com tudo o que está acontecendo", afirmou Juliana.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.