Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Para delegado, reduzir maioridade é 'abrir mão de adolescentes'

Titular da Delegacia de Homicídios comentou a apreensão do menor de 16 anos suspeito de ter matado o médico Jaime Gold a facadas

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

21 Maio 2015 | 14h02

RIO - Ao falar sobre a apreensão do menor de 16 anos suspeito de ter roubado e matado o médico Jaime Gold, de 56 anos, na última terça-feira, 19, na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro, o delegado titular da Delegacia de Homicídios, Rivaldo Barbosa, afirmou que reduzir a maioridade penal é "abrir mão desses adolescentes". 

"Se você baixar a maioridade penal, vai estar abrindo mão desses adolescentes. A gente tem que pensar em um trabalho de ressocialização", ressaltou o delegado.

Mesmo se dizendo surpreso com "a frieza e a forma covarde sem nenhum sentimento com o ser humano" que mostraram os autores do crime, o delegado destacou que o caso "supera a fase da polícia". "Há que se pensar com um pensamento social", defendeu.

Morador de Manguinhos, uma comunidade do subúrbio do Rio, o adolescente, de apenas 16 anos, já foi apreendido 15 vezes, todas entre 2010 e 2015.

Atualmente, tramita no Congresso um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que reduz a maioridade penal no País de 18 para 16 anos.

Mais conteúdo sobre:
Maioridade penal Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.