Renan Olaz/CMRJ
Renan Olaz/CMRJ

'Parem de nos matar', postou Marielle Franco 4 dias antes de ser assassinada

Vereadora foi morta ao voltar de roda de conversa na qual declarou que a cidade 'precisava ser de fato cuidada' e que a população tinha a mobilidade 'ameaçada'; assista vídeo do evento

O Estado de S.Paulo

15 Março 2018 | 09h45

SÃO PAULO - Quatro dias antes de ser morta a tiros, a vereadora do Rio Marielle Franco (PSOL) fez uma publicação nas redes sociais denunciando supostas ações violentas da Polícia Militar no Acari, bairro da zona norte carioca. A postagem trazia uma imagem com as frases "Parem de nos matar" e "Somos todos Acari", junto da hashtag "Vida nas favelas importam".

Também no sábado, 10, Marielle havia compartilhado outra postagem com novas críticas à Polícia Militar e escreveu "Chega de matar nossos jovens". Na véspera de sua morte, dia 13, voltou a criticar a violência policial no Rio ao comentar sobre a morte do jovem Matheus Melo, de 23 anos, baleado ao sair de um culto no Jacarezinho, na zona norte do Rio. "Quantos jovens precisarão morrer para que essa guerra aos pobres acabe?", escreveu.

++++ Vereadora assassinada no Rio iniciou militância após morte de amiga

A vereadora e o motorista Anderson Pedro Gomes foram mortos a tiros na noite de quarta-feira, 14, na região central do Rio. Eles voltavam do evento "Mulheres negras movendo estruturas", mediado por Marielle e com a participação de outras militantes do movimento negro. Durante o evento, participantes chegaram a lembrar que a data marcava 104 anos do nascimento da escritora negra Carolina Maria de Jesus. 

No fim do debate, a vereadora chegou a manifestar a preocupação em organizar eventos com horário de encerramento anterior às 21 horas para garantir a segurança das participantes.  "Essa cidade precisa ser de fato cuidada, e a gente sabe que não está sendo.  Os nossos corpos, o nosso transitar, a nossa mobilidade sempre fica ameaçada", disse.

++++ Grupos organizam protestos no Rio, em SP e BH após morte de vereadora

Às participantes, Marielle ainda comentou que mulheres negras, como ela, estão "resistindo o tempo todo". No encerramento, declarou a todos para "sair daqui com o corpo, a mente fortalecida para as batalhas que virão". Assista abaixo a gravação completa do evento:

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.