WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Paulo Barros estreia na Mocidade Independente com desfile literal

Estreia do carnavalesco na escola não teve mesmo impacto de anos anteriores; público se empolgou com carros e efeitos especiais

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

16 de fevereiro de 2015 | 02h23

RIO - A esperada estreia de Paulo Barros na Mocidade Independente de Padre Miguel não teve o impacto dos anos anteriores. Campeão três vezes nos últimos anos (2010, 2012 e 2014)  com apresentações inovadoras, Barros fez um desfile literal com o enredo "Se o mundo fosse acabar, me diz o que você faria se só te restasse um dia", inspirado na música "Último Dia", do cantor Moska e Billy Brandão. 

As alas eram "legendadas" - havia balões como o das histórias em quadrinhos entre elas. Os carros alegóricos também eram explicativos, com inscrições como "motel", no carro que fazia alusão ao trecho da música "trepava sem camisinha", ou "ir ao shopping ou à academia".


Barros empolgou nos efeitos especiais. No carro que falava sobre a loucura, os componentes ficavam de cabeça para baixo. O carro sobre o motel, com casais gays, ganhou muitos aplausos do público. Também causou frisson a alegoria com componentes nus, apenas com tapa sexo, no trecho da música "andava pelado na rua". A roupa da porta-bandeira e da comissão de frente "incendiou", representando o meteoro que se choca contra a Terra, detonando o fim do mundo.  

Claudia Leitte, a madrinha de bateria mais esperada, se vestiu com roupa comportada, e não se apresentou para o setor 1, o popular. Passou direto, cercada por seguranças, e terminou de se vestir no recuo da bateria. 

Barros teve duas sortes: foi a primeira escola da noite a se apresentar sem chuva e a primeira em que o carro de som não apresentou problemas. Terminou o desfile aos gritos de "É campeã".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.