HK
HK

Perícia vai analisar submetralhadoras da polícia em investigação da morte de Marielle

Todas as submetralhadoras HK-MP5 das polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro serão submetidas a uma perícia técnica para saber se alguma delas foi usada no assassinato da vereadora Marielle Franco

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2018 | 22h37

RIO - Todas as submetralhadoras HK-MP5 das polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro serão submetidas a uma perícia técnica para saber se alguma delas foi usada no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em 14 de março no Estácio (região central do Rio). A reconstituição realizada no último dia 10 permitiu ao peritos concluir que esse foi o tipo de arma usado no crime. Não há suspeita específica sobre algum policial. 

+ Depen analisa pedido de transferência de ex-PM ligado a morte de Marielle

As polícias do Rio tinham 71 metralhadoras desse modelo, de fabricação alemã. Onze delas pertencem ao Batalhão de Operações Especiais (Bope), a tropa de elite da Polícia Militar, e estão cedidas ao Tribunal de Justiça do Rio. As outras 60 submetralhadoras integravam o acervo da Polícia Civil, mas um levantamento realizado em 2011 constatou que cinco dessas armas haviam desaparecido, conforme a TV Globo divulgou na noite desta quinta-feira, 17. Procurada pelo Estado na noite desta quinta-feira, a Polícia Civil não se manifestou até as 22h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.