REPRODUÇÃO
REPRODUÇÃO

Pezão exonera secretário que disse acreditar em 'cura gay'

O pastor Ezequiel Teixeira ocupava o cargo desde 15 de dezembro, e em dois meses tentou desmontar o projeto Rio Homofobia

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

17 de fevereiro de 2016 | 21h01

RIO - Um dia após dizer ao jornal O Globo que acredita na “cura gay”, o secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro, pastor Ezequiel Teixeira, filiado ao Partido da Mulher Brasileira, foi exonerado pelo  governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). A decisão foi divulgada pela assessoria de Pezão na noite desta quarta-feira, 17, horas depois que o jornal circulou.

O pastor ocupava o cargo desde 15 de dezembro, e em dois meses tentou desmontar o projeto Rio Homofobia, subordinado à pasta e responsável por implementar projetos de combate ao preconceito e promover a cidadania dos homossexuais. Desde que o pastor assumiu a pasta, foram fechados quatro centros de assistência à população homossexual no Estado e demitidos 78 funcionários que atuavam no programa.

Fundador da igreja evangélica Projeto Nova Vida, o pastor comparou a homossexualidade ao câncer e à aids. “Eu não creio só na cura gay, não. Creio na cura do câncer, na cura da aids”, afirmou. “Fui eleito (deputado federal) com essas convicções. Fui convidado para estar aqui (na secretaria). E todos que me chamaram sabiam das minhas convicções”, afirmou ao jornal carioca.

Teixeira será substituído por Paulo Melo (PMDB), que ocupava a função de secretário estadual de Governo. Essa pasta será ocupada por Affonso Monnerat, atual chefe de gabinete do governador.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.