Danielle Villela/Estadão
Danielle Villela/Estadão

Pezão nega mudança no contrato para concessão das barcas

Acidente na quarta deixou 12 pessoas feridas no Rio; governador disse que não houve interesse em alterar contrato com CCR

Idiana Tomazelli e Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

17 de julho de 2015 | 15h00

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, negou nesta sexta-feira, 17, qualquer tratativa com a CCR sobre revisão no contrato da concessionária Barcas S.A., responsável pela operação do sistema de transporte aquaviário de passageiros na região metropolitana do Rio, após sucessivos incidentes envolvendo embarcações.

"Tenho conversado permanentemente com a CCR e em nenhum momento eles falaram em vender essa concessão. A concessão está vigente, ainda tem um contrato, mas isso é do mercado. Se eles quiserem, tem que primeiro falar com o Estado", afirmou Pezão, ao deixar a sessão de abertura da 157ª reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

Nesta quarta-feira, 15, uma embarcação que transportava aproximadamente 900 pessoas de Niterói ao centro do Rio colidiu contra o cais de desembarque próximo à Praça XV. Após o acidente, nove passageiros e três tripulantes foram socorridos com ferimentos leves. A perícia apontou um problema mecânico no motor reverso da barca como causa da colisão.

Outra ocorrência. Em maio, a barca Vital Brazil, que saiu do centro do Rio de Janeiro em direção à Ilha do Governador, na zona norte, se chocou contra o píer onde seria atracada, na plataforma de Cocotá. Na ocasião, nenhuma das 732 pessoas a bordo se feriu, mas o desembarque foi atrasado em duas horas.

Mais conteúdo sobre:
CCRconcessãoBarcas SAPezão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.