Polícia Federal
Polícia Federal

PF prende 3 pessoas por esquema de fraude na alfândega do Galeão

Quadrilha atuava no desembarque de passageiros com eletrônicos do exterior; entre os detidos está um analista tributário da Receita

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2017 | 18h23

RIO - A Polícia Federal prendeu três pessoas nesta terça-feira, 7, em uma operação montada para desarticular um esquema de fraude na alfândega do Aeroporto Internacional do Galeão, na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro. Batizada de Canal Fechado, a ação teve como alvo uma organização criminosa que atuava havia mais de dois anos no local.

+++ Polícia apreende 60 fuzis no Galeão; carga havia sido despachada de Miami

Do grupo, investigado desde janeiro deste ano, participavam pelo menos um analista tributário da Receita Federal, que foi preso nesta terça-feira, e três funcionários da empresa que presta serviços terceirizados no aeroporto neste setor, dois deles também presos. O analista foi afastado do serviço público.

+++ Aeroporto do Galeão, no Rio, tem ameaça de bomba

Os acusados ajudavam no desembarque de pessoas que traziam do exterior videogames, telefones celulares, perfumes e relógios, entre outros bens, sem que suas bagagens fossem fiscalizadas devidamente. O grupo ainda viabilizava a venda dos produtos no mercado brasileiro. 

Segundo informou a PF, entre as pessoas que trouxeram as mercadorias está um militar do Exército que participou da missão brasileira no Haiti. O caso veio à tona com a prisão de um funcionário da empresa prestadora de serviços investigada, em janeiro. Outro funcionário foi identificado e detido pela PF em abril.

O analista tributário preso foi indiciado por pertencimento à organização criminosa e facilitação de contrabando ou descaminho; os demais, por contrabando, descaminho e também por pertencimento à organização criminosa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.