PM de UPP é sequestrado, torturado e morto em Bangu

Corpo do soldado Ryan Procópio  foi encontrado com marcas de tiros de fuzil e pistola; policial estava de folga quando foi levado

Tiago Rogero, O Estado de S. Paulo

25 de novembro de 2014 | 08h45

RIO - Um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Kennedy, na zona oeste do Rio de Janeiro, foi sequestrado, torturado e morto por criminosos na noite desta segunda-feira, 24, em Bangu, bairro vizinho à comunidade em que trabalhava. O soldado Ryan Procópio, de 23 anos, era irmão de um tenente do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e filho de um dos fundadores da tropa de elite da Polícia Militar, já falecido.

O corpo do soldado foi encontrado no início da madrugada desta terça-feira, 25, na Rua Vigilante Fortunato, próximo à Avenida Brasil, com sinais de tortura e marcas de tiros de fuzil e pistola.

Segundo a PM, ele estava de folga nesta segunda-feira e teria sido abordado por criminosos por volta das 23h quando passava pela Estrada do Engenho, a cerca de dois quilômetros de onde foi encontrado.

Os assassinos teriam reconhecido Ryan como policial e levado o PM à Vila Aliança, dominada pela facção criminosa Terceiro Comando Puro. Nesta segunda-feira, policiais civis fizeram operação na favela, com a prisão de nove pessoas e apreensão de um menor. O assassinato do PM da UPP está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.
Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroBanguViolênciaUPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.