PM do Rio prende suspeito de participar de arrastões em metrô

Assaltos foram feitos em março na Linha 1; em depoimento, Wallace Duarte Tolentino confessou ter participado de um dos roubos

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

19 Abril 2015 | 15h10

RIO - A Polícia Civil do Rio prendeu nesta domingo, 19, um dos homens envolvidos em arrastões no metrô do Rio nos dias 12 e 25 de março. Wallace Duarte Tolentino, de 26 anos, foi encaminhado para a 10ª Delegacia de Polícia, em Botafogo, por PMs da UPP Mangueira. A partir daí, os agentes da Polícia Civil começaram a realizar diligências para checar se Tolentino havia participado da ação, de acordo com a delegada titular da 10ª DP, Barbara Lomba.

A polícia informou que as vítimas dos assaltos foram intimadas para realizar o reconhecimento e confirmaram que ele era um dos autores dos roubos. Em depoimento, Wallace Duarte Tolentino confessou ter participado do roubo do último dia 25. Foi solicitada então a prisão preventiva dele ao Plantão Judiciário. O pedido foi deferido e o mandado cumprido.

Na última sexta-feira, 17, policiais já haviam apreendido um adolescente de 16 anos que também participou dos roubos. Outros dois criminosos, Max Walla Medeiros da Hora e Bruno Gonçalves, estão com mandados de prisão preventiva expedidos e continuam sendo procurados. Em nota, a Polícia Civil afirmou que diligências estão em andamento para identificar o último integrante da quadrilha.

Assaltos. Nos dias 12 e 25 de março, arrastões apavoraram usuários do metrô do Rio. O primeiro ocorreu na Linha 1, no sentido Ipanema, por volta das 21h45, quando, passado o horário do rush da volta do trabalho para casa, os vagões estão mais vazios. A mesma linha foi escolhida pelos assaltantes no dia 25: quando o trem seguia em direção à Estação General Osório, cinco criminosos, pelo menos um deles armado com uma pistola, anunciaram o assalto entre as Estações Glória e Catete e levaram celulares e carteiras.

Mais conteúdo sobre:
ArrastãoMetrôRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.