PM do Rio usará avião de Abadia para deslocar presos

Aeronave também será utilizada para transportar policiais, mapear favelas e monitorar queimadas

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo,

16 de janeiro de 2008 | 20h24

O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, apresentou na terça-feira, 15, o avião bimotor modelo PA-31 Navajo apreendido pela Polícia Federal entre os bens do narcotraficante Juan Carlos Ramírez Abadia, de 44 anos, que será utilizado pelo Grupamento Aéreo e Marítimo (GAM) da Polícia Militar do Rio em operações de deslocamento de presos, transporte de policiais em missões, mapeamento de favelas e monitoramento de queimadas e até em transporte de órgãos para Rio Transplante.  "O Rio será o fiel depositário durante o processo contra o narcotraficante. Após o julgamento, nós vamos trabalhar para o perdimento (posse definitiva) desta aeronave para o Estado do Rio", afirmou Beltrame.  De acordo com o secretário, Rio disputou a aeronave com os estados de São Paulo e Mato Grosso, mas obteve a autorização da Justiça, porque fez o pedido primeiro. O avião não consta na lista oficial de bens apreendidos de Abadia e estaria em nome de uma empresa apontada como "laranja" do narcotraficante, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Rio.Com capacidade para seis passageiros e dois tripulantes, a aeronave era usada para o transporte de grandes negociantes do tráfico e da família de Abadía.  Avaliado em R$ 400 mil, o bimotor se juntará no GAM a aeronave modelo Baron 58, avaliada em R$ 150 mil, apreendida há cerca de dois anos entre os bens do traficante e homicida Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. Beltrame não informou os gastos que o Estado terá com a manutenção e o abastecimento da aeronave, feito por meio de um convênio com a Petrobrás, mas garantiu que a aquisição será vantajosa aos cofres públicos.  "O grande benefício é a agilidade. Nós podemos a partir de agora transportarmos policiais e funcionários da secretaria de forma muito ágil. Nós podemos ter uma despesa pelo fato do avião estar hangariado, mas ganhamos em velocidade e tempo é dinheiro" declarou o secretário. Beltrame cobrou do governo federal a data para o início das obras do Plano de Aceleração de Crescimento no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio.  "Isso (agendamento das obras) é um problema que não é meu, porque para o PAC a polícia tem ações específicas. Agora, eu preciso saber quando vão começar as obras, porque não tenho efetivo suficiente para tirar de outro lugar, colocar lá e as obras não começarem ", disse o secretário.

Tudo o que sabemos sobre:
abadiaavião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.