PM ficará no metrô para impedir manifestantes de chegar ao Maracanã

Passageiros suspeitos poderão ser revistados e quem não tiver ingresso será orientado a sair

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

13 de junho de 2014 | 18h29

RIO - Para coibir a chegada de manifestantes ao Maracanã pelo metrô, como aconteceu na quinta-feira no Itaquerão, na abertura da Copa, a PM do Rio e a Força Nacional de Segurança vão atuar com 250 homens nas três estações de metrô próximas ao estádio (Maracanã, São Cristóvão e São Francisco Xavier), no domingo, dia do jogo Argentina x Bósnia. 

Cento e cinquenta PMs ficarão dentro das estações orientados até a revistar passageiros suspeitos e 100 da Força Nacional de Segurança estarão do lado de fora. As pessoas que chegarem à estação Maracanã, a mais próxima do estádio, sem ingresso nem credencial serão orientadas a sair por uma rampa lateral para que fiquem afastadas da área de segurança do entorno. 

A operação de segurança do Maracanã começa já neste sábado, com reforço da PM e Guarda Municipal e vistorias da Polícia Federal em busca de explosivos. No domingo, 2.550 PMs atuarão dentro e fora do estádio. A Polícia Civil reforçou as delegacias próximas com 156 policiais bilíngues. Ao todo, são 456 a mais do que nos plantões de domingo comuns. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.