PM reforça segurança no Engenhão após briga de torcidas

PM reforça segurança no Engenhão após briga de torcidas

Policiais que estavam fazendo o patrulhamento nas praias da zona sul durante o dia foram alocados no entorno do estádio; torcidas do Botafogo e Flamengo se enfrentaram nos acessos da arena

Clarrisa Thomé e Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

12 Fevereiro 2017 | 21h00

RIO - A Polícia Militar reforçou o policiamento no entorno do Engenhão, na zona norte do Rio, onde está sendo iniciado o segundo tempo do jogo Flamengo x Botafogo na noite deste domingo, 12. Policiais que estavam fazendo patrulhamento nas praias da zona sul durante o dia foram alocados no estádio, uma vez que, antes da partida, foram registradas no entorno diversas brigas entre flamenguistas e botafoguenses, tentativa de invasão da arena e correria. A polícia respondeu com balas de borracha. Também foram ouvidos tiros e explosões. Pelo menos três pessoas foram baleadas, e uma delas está internada em estado delicado.

O clima ficou tenso no entorno do Engenhão quando torcedores começaram a chegar para o jogo, por volta das 17 horas. Torcidas organizadas do Botafogo e do Flamengo se enfrentaram nos acessos para o estádio. O policiamento ficou reduzido por causa do movimento das famílias na porta dos batalhões, segundo policiais ouvidos pelo Estado. A assessoria da Polícia Militar informou que o policiamento estava “reforçado” e que o efetivo é suficiente para garantir a segurança das torcidas.

A confusão ocorreu na ala norte do estádio. Policiais tentaram conter os torcedores e dispersaram a multidão com bombas de gás e balas de borracha. Torcedores lançaram garrafas de vidro. Apesar do clima tenso e da cautela do Botafogo, dono da casa, o clássico foi mantido por decisão da Federação de Futebol do Estado do Rio (Ferj).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.