Polícia apura morte de estudante em bar na Baixada Fluminense

O caso está gerando controvérsia entre testemunhas que dão diferentes versões na página do Floresta Bar no Facebook

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

01 Maio 2017 | 13h56

RIO – A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense do Rio está investigando a morte do estudante Bruno Mello Durange, de 28 anos, atingido por um taco de sinuca na cabeça durante uma briga em um bar em São João de Meriti. O episódio aconteceu na noite de sexta-feira, 28, e o jovem morreu na madrugada de domingo, de traumatismo craniano.

A polícia civil informou que vai ouvir testemunhas e analisar imagens de câmeras de segurança que podem ajudar a identificar a autoria do crime. O caso está gerando controvérsia entre testemunhas que dão diferentes versões na página do Floresta Bar no Facebook. Uma delas é que Bruno teria sido agredido por seguranças do local durante uma discussão.

O Floresta Bar diz na rede social que a briga foi entre dois frequentadores e classifica como boatos os comentários nas redes sociais que afirmam um dos proprietários do estabelecimento estaria envolvido.

“Lamentavelmente, alguns usuários de redes socias tem agido de forma falaciosa e irresponsável afirmando que o proprietário teria sido o agente causador das lesões em um dos clientes. Uma inverdade. Todas as medidas judiciais estão sendo tomadas em desfavor dos usuários de rede sociais que estão veiculando informações falsas e distorcidas. A família Floresta está a disposição da família da vítima deste trágico incidente para prestar todo o apoio necessário”, diz a postagem.

Bruno Mello foi enterrado nesta segunda-feira. Ele deixa uma filha de dois anos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.