Polícia de SP ouve pilotos sobre acidente da TAM

A Polícia de São Paulo ouve nesta sexta-feira, 31, um piloto e um co-piloto da Gol que reclamaram, via rádio, no dia do acidente com o Airbus A-320 da TAM, da pista principal do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo. A conversa foi com tripulantes do vôo 3414 da TAM, que já falaram na semana passada no 27º Distrito Policial do Campo Belo, onde o acidente com o Airbus A320 da TAM foi registrado e está sendo investigado.De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Segurança Pública, a polícia ouviu ontem um piloto e um co-piloto da TAM que desistiram de pousar na pista de Congonhas porque ela estava muito escorregadia. O fato ocorreu dia 16 de julho, um dia antes do acidente com o vôo 3054. Segundo o piloto, ele já havia sido autorizado a pousar em Congonhas, mas, quando se aproximou da pista, percebeu que ela estava muito molhada e resolveu arremeter e pousar no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. Depois de aterrissar em Cumbica, outros três pilotos da TAM informaram que adotaram o mesmo procedimento. Conforme a secretaria, dos 29 pilotos e co-pilotos ouvidos até hoje pela polícia, 27 reclamaram da pista de Congonhas. Eles afirmaram que ela é muito curta e escorregadia em dias de chuva. Também reclamam da falta do grooving, que são as ranhuras no asfalto para facilitar o escoamento da água, serviço que só agora vem sendo realizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.