Polícia detém 30 pessoas após confusão na Praia de Ipanema

Tumulto começou após banhistas agredirem um homem acusado de roubar quem estava na areia; PMs lançaram bombas de gás

CLARISSA THOMÉ, O Estado de S. Paulo

14 de setembro de 2014 | 19h29

RIO - Pelo menos 30 pessoas foram levadas para a 14ª Delegacia de Polícia (Leblon), no Rio de Janeiro, acusadas de roubo, furto, desacato e desobediência na Praia de Ipanema, na zona sul da capital fluminense, informou o comando do 23º Batalhão de Polícia Militar. Entre os detidos, havia menores de idade.

A confusão começou por volta das 16h30, quando banhistas agrediram um homem acusado de roubar quem estava na areia, próximo ao Posto 9. Quando os PMs tentaram deter o suposto assaltante, amigos dele intervieram. Teve início, então, uma briga. Os PMs lançaram as bombas de gás para conter a confusão. Houve pânico e correria entre os banhistas que estavam perto do tumulto. 

Policiais Militares lançaram bombas de gás lacrimogêneo para conter um tumulto nas areias da Praia de Ipanema, na tarde deste domingo, 14. Foi o episódio mais grave de um domingo de sol marcado por furtos, roubos e correrias entre os postos 7 e 9. Este foi o primeiro fim de semana da Operação Verão, antecipada em três meses - 650 PMs reforçaram o patrulhamento na orla.

Banhistas contaram que ao longo de todo o dia grupos andavam entre aqueles que tomavam sol para furtar os pertences. Houve casos de banhistas agredidos até mesmo dentro da água e obrigados a entregar objetos como óculos, relógios e carteiras.

A Polícia Militar informou que divulga nesta segunda-feira, 15, o balanço do primeiro fim de semana da Operação Verão e reuniu policiais dos batalhões de Botafogo, Flamengo, Copacabana, Leblon e Ipanema, do Batalhão de Choque, do Batalhão de Ações com Cães e de recrutas do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap). 

Além da orla, ruas próximas à praia e bairros como a Lagoa também receberam reforços policiais, que patrulharam a região com quadriciclos e motos. Os policiais do Choque estavam equipados com armas não letais.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroTumulto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.