Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Polícia diz que 18 mortos durante operação tinham antecedentes criminais

Até as 16h30 desta sexta-feira não havia sido divulgada nenhuma lista oficial com os nomes dos mortos em Jacarezinho

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2021 | 17h31

RIO - Dezoito das 24 pessoas mortas pela Polícia Civil do Rio na operação de quinta-feira, 6, na favela do Jacarezinho (zona norte), já foram identificadas oficialmente e tinham antecedentes criminais, afirmou a Polícia Civil do Rio em nota divulgada na tarde desta sexta-feira, 7. Mas a polícia ainda não divulgou o nome dessas vítimas. “A ficha e as identificações de cada um serão apresentadas após exames de perícia e necropsia”, diz a nota.

Embora ainda falte identificar oficialmente seis vítimas, a Polícia Civil reiterou que “todos os mortos durante a ação tinham antecedentes criminais e eram envolvidos com atividades criminosas” e que “o único executado (durante a operação) foi o inspetor de Polícia André Leonardo de Mello Frias”, morto por criminosos no início da operação. Até as 16h30 desta sexta-feira não havia sido divulgada nenhuma lista oficial com os nomes dos mortos.

Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), uma lista foi composta a partir de informações de pessoas que estavam à procura de pessoas desaparecidas no Instituto Médico-Legal (IML) na manhã desta sexta-feira, mas não necessariamente contém nomes das pessoas mortas durante a operação nem foi divulgada oficialmente pela entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.