Wilton Júnior/Estadão
Wilton Júnior/Estadão

Polícia diz que explosão em apartamento do Rio foi intencional

Alemão Markus Muller tinha dívidas bancárias e estava com aluguel atrasado; ele havia sido investigado em seu país por pedofilia e fraude financeira

O Estado de S.Paulo

11 Julho 2016 | 13h29

RIO - Relatório da polícia aponta que foi intencional a explosão de gás em um apartamento de luxo em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro, em maio do ano passado, que deixou morto o alemão Markus Muller. Para o delegado José Alberto Lage, o alemão instalou de forma errada uma mangueira ligada à rede de gás. O resultado da investigação foi divulgado pela GloboNews.

As investigações mostram que Muller tinha dívidas bancárias e também estava com o aluguel do apartamento atrasado. Ele já havia sido investigado na Alemanha por abuso sexual de menores de 14 anos, fraude financeira e apropriação indébita de um carro.

Na véspera do acidente, imagens do circuito interno de tevê mostram  Muller chegando ao prédio com a mangueira de gás em uma sacola.

O delegado não explicou o motivo que o levou à convicção de que a instalação incorreta da mangueira tenha sido intencional. A explosão do edifício destruiu alguns dos 72 apartamentos do prédio, que ainda estão em obras.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Muller Alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.