Reprodução|Instagram
Reprodução|Instagram

Polícia do Rio faz operação em SP para apurar racismo contra filha de Gagliasso

Foram expedidos três mandados de busca e apreensão em São Paulo a pedido da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI)

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

20 Dezembro 2016 | 12h01

RIO - A Polícia Civil do Rio deflagrou uma operação, na manhã desta terça-feira, 20, em São Paulo, para apurar a origem de comentários racistas sofridos pela filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Foram expedidos três mandados de busca e apreensão no Estado, a pedido da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI).

A delegada Daniela Terra, titular da DRCI, informou que dois mandados já foram cumpridos, um na cidade de Guarulhos, outro em Itaquaquecetuba. Durante a operação, que tem apoio da Polícia Civil de São Paulo, sete pessoas foram conduzidas à delegacia para prestar esclarecimentos. Uma delas é um adolescente de 17 anos, que confessou ser um dos autores das ofensas dirigidas à criança.

O adolescente relatou para a polícia ter criado um perfil falso no Facebook para fazer as ofensas, acreditando que, assim, ficaria impune. Também foram apreendidos celulares.  Segundo informações da Polícia Civil, a delegada e a sua equipe continuam em diligências, ouvindo os conduzidos e verificando informações, para identificar outros envolvidos no crime. 

O casal de atores registou o crime na DCRI, depois de comentários ofensivos sobre Titi, a filha adotiva do casal, serem postados em suas páginas na rede social. Um deles dizia:  "Vcs tinham que adotar uma menina de olhos azuis isso sim iria combinar e não aquela pretinha parece uma macaquinha #lugardepretoénaafrica!!!", escreveu um internauta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.