Polícia do Rio investiga assassinato de grávida que levou tiro no rosto

Mulher de 24 anos teve a bolsa e o celular roubados. Policiais acreditam que latrocínio, mas não descartam outra motivação

O Estado de S. Paulo

25 de julho de 2014 | 23h24

RIO - A Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio investiga o assassinato de Nathália Araújo da Cunha, de 24 anos, que estava grávida e foi morta com um tiro no rosto em Turiaçu, na zona norte do Rio, na noite desta quinta-feira, 24. Um celular e a bolsa com os pertences da vítima foram levados. Os investigadores consideram como principal hipótese a de latrocínio (roubo seguido de assassinato), mas não descartam outras motivações para o crime. 

O crime ocorreu por volta das 22 horas na Rua Leopoldino de Oliveira, que dá acesso ao Morro do Cajueiro. Nesta sexta-feira, 25, a comunidade foi alvo de uma operação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da PM. A ação tinha o objetivo de prender suspeitos de tráfico de drogas.

Na Divisão de Homicídios, o companheiro de Nathália foi ouvido ainda na noite de quinta, quando a perícia também esteve no local do crime. Os agentes buscam imagens de câmeras de segurança da região para identificar o responsável pelo disparo. Segundo as primeiras informações, seria um homem que estava em uma bicicleta. Ele tentou roubar a bolsa da vítima, que teria resistido e foi baleada.

Mais conteúdo sobre:
Rioviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.