Facebook/Reprodução
Facebook/Reprodução

Polícia do Rio investiga outro caso de morte após cirurgia estética

Parentes de modelo registraram caso na delegacia da Barra da Tijuca, a mesma que apura a morte atribuída ao Doutor Bumbum. Ela realizou cirurgia estética com outro profissional e morreu três dias depois

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2018 | 17h56
Atualizado 24 de julho de 2018 | 16h08

RIO -  Quatro dias após a prisão do médico Denis Furtado, conhecido como Doutor Bumbum, acusado de causar a morte da bancária Lilian Calixto em procedimento estético, a Polícia Civil abriu nova investigação, sobre caso semelhante. A 16.ª DP (Barra da Tijuca), a mesma delegacia que investiga o homicídio de Lilian, começou nesta segunda-feira, 23, a apurar as circunstâncias da morte da modelo Mayara Silva dos Santos, de 24 anos. Ela supostamente morreu em consequência de cirurgia estética irregular, realizada por outro profissional, ainda não identificado. Como no caso de Furtado, tudo teria sido feito em um apartamento no bairro, fora de ambiente médico.

A modelo morreu na sexta-feira, horas após submeter-se a procedimentos nas coxas e nos glúteos, além de retirar gordura do abdômen. Até a noite desta segunda-feira, a polícia não sabia quem foi o responsável pela cirurgia, porque Mayara morreu sem revelar o nome do profissional.

Segundo parentes, Mayara é carioca, mas no ano passado começou a namorar um dinamarquês e foi morar na Dinamarca, onde permaneceu por nove meses. Ela voltou ao Rio há um mês, e o namorado viria em outubro. Eles pretendiam se casar no Brasil.

Na próxima terça-feira, 24, Mayara se internaria em um hospital para colocar silicone nos seios e fazer rinoplastia (cirurgia no nariz, para melhorar a estética ou a respiração do paciente). Mas, sem informar à família, ela seguiu sugestão que teria partido de uma amiga e na última sexta-feira, 20, foi até um apartamento na Barra da Tijuca para se submeter aos procedimentos nos glúteos.

Pouco depois da cirurgia, a modelo sentiu-se mal - a família ainda não sabe onde ela estava quando precisou de socorro. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamada e conduziu a paciente para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) vizinha ao Hospital Lourenço Jorge, também na Barra da Tijuca. Durante o trajeto, Mayara teria sofrido duas paradas cardiorrespiratórias. Morreu ainda antes de chegar à UPA.

O corpo da modelo foi enterrado nesta segunda-feira no cemitério de Inhaúma (zona norte). Também nesta segunda-feira, a 16ª DP (Barra da Tijuca) começou a ouvir familiares de Mayara e realizou diligências para tentar esclarecer o caso.

A família só soube da intervenção estética quando, no Instituto Médico-Legal (IML), foi informada de que havia secreção vazando das nádegas da vítima. Os parentes de Mayara não sabem quem fez essa cirurgia. A amiga que teria indicado o procedimento não foi ao enterro e não teria atendido as ligações feitas pela família de Mayara.

Doutor Bumbum

Preso desde a última quinta-feira, 19, o médico Denis Furtado, continua preso em Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na zona oeste do Rio. Ele foi indiciado pelos crimes de homicídio com dolo eventual (quando não há intenção de matar) e associação criminosa. Sua mãe, Maria de Fátima, que é médica com registro cassado, também está presa, pelas mesmas acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.