Divulgação
Divulgação

Polícia encontra esconderijo de Fat Family; três são mortos

Cinco pessoas foram detidas em ação na Favela Nova Holanda, na Maré; traficante resgatado no Hospital Souza Aguiar escapou

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2016 | 10h21

RIO - Uma operação para prender o traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, na manhã desta sexta-feira, terminou frustrada. Traficantes conseguiram atrasar o avanço de 80 policiais civis na Favela Nova Holanda, o que permitiu que o criminoso deixasse o esconderijo que ocupava havia dois dias. Três supostos criminosos morreram - no total, oito pessoas já foram mortas pela polícia em operações de captura do bandido. 

Ele estava internado no Hospital Souza Aguiar e foi resgatado em uma ação que deixou um paciente morto e duas pessoas feridas. Para o diretor do Departamento de Polícia Especializada, delegado Ronaldo Oliveira, Fat Family escapou porque as equipes não tiveram apoio do helicóptero da Polícia Civil, que não voa há três meses por falta de manutenção. 

Oliveira ameaçou suspender operações se não tiver segurança para os policiais atuarem. “O apoio aéreo é fundamental porque retira os traficantes das lajes. Além disso, se o helicóptero estivesse sobre a casa em que Fat Family estava escondido, ele não teria como fugir. Hoje o policial trabalha acima do seu limite”, afirmou. 

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, apoiou Oliveira e disse que não tem verba para fazer manutenção. “O delegado está coberto de razão. Estamos com as aeronaves das Polícias Militar e Civil paradas, e muitas vezes desamparadas de equipamentos que são totalmente necessários. A polícia hoje trabalha na base do profissionalismo.”

De acordo com o titular da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), Felipe Curi, Fat Family tem trocado de esconderijo a cada dois dias, desde que fugiu do Hospital Souza Aguiar. A polícia vinha monitorando a movimentação do traficante e conseguiu identificar a casa em que ele estava - um sobrado na Favela Nova Holanda, no Complexo da Maré, zona norte do Rio. 

A ação. Os policiais da Dcod, das delegacias de Roubos e Furtos de Carga, e de Roubos e Furtos de Automóveis, com apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), chegaram à favela por volta de 6 horas. Houve intensa troca de tiros e os agentes levaram cerca de uma hora para chegar à casa em que Fat Family estava escondido.

No local, encontraram um colchão, um sofá, soro, antibióticos e anti-inflamatórios. A casa estava fortemente protegida. Próximo dali, havia dois carros roubados em que estavam escondidos 500 quilos de maconha e centenas de pinos de cocaína. No tiroteio, três supostos traficantes morreram. Foram apreendidos três fuzis, entre eles um AR 10, de uso exclusivo das tropas de elite. Sete pessoas foram presas, entre elas o criminoso identificado como James da Mandela, chefe do tráfico de drogas das favelas de Manguinhos e Mandela.

 

Tudo o que sabemos sobre:
FatDrogasPolícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.