Polícia Civil/Divulgação
Polícia Civil/Divulgação

Polícia encontra o corpo do neto de Chico Anysio em praia do RJ

Familiares lamentaram morte do jovem, desaparecido há nove dias

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

03 de março de 2016 | 19h18

RIO - A Polícia Civil encontrou o corpo de Rian Brito de Oliveira Paula, de 25 anos, o neto desaparecido do humorista Chico Anysio (1931-2012). Segundo o tenente bombeiro militar Amaro Garcias, que comandou as operações de buscas, há 99% de certeza de que seja de Rian o corpo encontrado na Praia de Flecheiras, na Reserva de Jurubatiba, em Quissamã, no norte fluminense, na manhã desta quinta-feira, 3. 

O corpo estava em elevado estado de decomposição, com uma bermuda, um cordão e uma pulseira que pertenciam ao jovem. De acordo com o tenente, é preciso esperar a perícia do Instituto Médico Legal de Macaé para ter certeza absoluta da hipótese.

O corpo estava há cerca de 25 quilômetros de onde os pertences do Rian, como documentos pessoais, o cartão bancário, uma camisa e os chinelos, foram achados no último domingo, 28. Ele foi encontrado por um pescador, que acionou a Defesa Civil. Rian, que estava desaparecido desde o último dia 23, é filho do ator Nizo Neto e da atriz e cantora Márcia Monteiro Brito, conhecida com Brita Brazil.

Em seu perfil no Facebook, Brita criticou hipóteses levantadas sobre suicídio de Rian e fez críticas à imprensa. “Não acredito que diante da dor que estamos vivendo pela perda de nosso querido filho Rian, alguém tenha coragem de inventar que foi suicídio. Vocês são monstros. Mais uma vez a imprensa baseada em grana cria uma imagem distorcida da realidade. Nojo de vocês! Brita e Rian”, postou. 

O tio de Rian, o ator Bruno Mazzeo escreveu: Muito obrigado por todas as manifestações carinhosas durante essa semana de angústia. Meu mais sincero agradecimento.

A atriz e diretora Cininha de Paula, prima do pai de Rian também manifestou tristeza em seu perfil. “Meu queridinho, que você encontre paz. Não sei se existe e como existe outra vida só digo que viver esta às vezes é muito doloroso”.

Rian cursava Produção Musical em uma faculdade particular do Rio, foi levado pela mãe até uma autoescola em São Conrado, na zona sul do Rio, por volta das 13h30 do dia 23. Às 15h30 ele deveria ligar para ela pedindo que fosse buscá-lo, o que não ocorreu. Os pais telefonaram para o celular do estudante, mas descobriram que o aparelho havia ficado em casa. A família comunicou o sumiço depois de 24 horas sem ter notícias do paradeiro do rapaz. Rian sacou uma quantia em dinheiro em um shopping no mesmo dia em que sumiu e se dirigiu de táxi até a Rodoviária Novo Rio, onde pegou um ônibus para Quissamã.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.