Polícia faz operação em oito comunidades da zona norte do Rio

14 pessoas foram presas; foi apreendido um 'kit antitumulto', equipamento usado por militares em manifestações de rua

Tiago Rogero, O Estado de S. Paulo

29 Outubro 2014 | 10h29

Atualizado às 16h35

RIO - Quatorze pessoas foram presas, sendo uma mulher e 13 homens, e um menor, apreendido em operação conjunta das Polícias Civil e Militar em oito comunidades da zona norte do Rio de Janeiro, a principal delas o Morro do Chapadão, local de confrontos constantes entre policiais e criminosos nos últimos meses. Na ação, foi apreendido um "kit antitumulto": o equipamento usado por militares no combate a manifestantes durante protestos no Rio que, nas ruas, ganhou o apelido de "Robocop".

A Secretaria Estadual de Segurança (Seseg) ainda não informou como o equipamento, de uso da PM, chegou aos criminosos. Segundo a Seseg, que divulgou imagem do kit apreendido, o equipamento é "semelhante" ao usado por policiais do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). 

Além do kit, foram apreendidos quatro fuzis, uma réplica da arma, quatro pistolas, três coletes à prova de balas e 100 kg de maconha.
Nomes e idades dos presos ainda não foram divulgados e não há informações de feridos.

A operação, "para mapeamento da região e levantamento de informações", segundo a Seseg, está sendo realizada nas comunidades dos bairros Costa Barros, Pavuna, Ricardo de Albuquerque, Barros Filho e Guadalupe. Os dados coletados nesta quarta-feira, 29, ainda de acordo com a Seseg, serão usados em futuras operações.

Foram recuperados 15 carros e cinco motocicletas roubados, parte deles em uma oficina para desmonte, no Chapadão. Participam da ação 262 PMs do Batalhão de Operações Especiais (Bope), BPChoque, Batalhão de Ações com Cães e Grupamento Aeromóvel, além de 80 policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais, e Delegacias de Roubos e Furtos de Automóveis, de Combate às Drogas e de Roubos e Furtos.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.