Polícia faz operação na Uruguaiana contra receptação de celulares

Ação no camelódromo da região tenta reprimir receptação de celulares e investiga a revenda de produtos roubados no local

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

26 Maio 2015 | 11h06

RIO - Uma ação da Polícia Civil no camelódromo da Uruguaiana, na região central do Rio de Janeiro, tenta reprimir a receptação de celulares roubados em roubos e furtos. A Operação Saara Malo, como foi batizada, visa cumprir 150 mandados de busca e apreensão nesta terça-feira, 26. De acordo com Claudio Vieira, delegado titular da 4ª Delegacia de Polícia (Centro), unidade responsável pela operação, as investigações apuram a revenda de produtos roubados no local. 

Ao todo, a ação envolve 130 policiais das delegacias do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

O camelódromo da Uruguaiana fica próximo à Avenida Rio Branco, que teve policiamento reforçado no começo de maio por policiais militares de bicicleta e à cavalo após um homem ter sido esfaqueado durante assalto no dia 30 de abril.

Em dois dias com a nova estratégia de policiamento, de 5 a 7 de maio, cinco pessoas foram presas, 20 foram conduzidas a delegacias para averiguação, seis menores de idade foram apreendidos e outros 31 foram encontrados em situação de risco e conduzidos para abrigos.

No balanço de apreensões, foram recuperados 23 celulares, dois cordões e 120 DVDs. 

Em novembro do ano passado, policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) realizaram na Uruguaiana operação semelhante à desta terça-feira. Na ocasião, foram apreendidos 406 celulares falsificados ou sem procedência comprovada. Donos de boxes do camelódromo foram detidos e levados à sede da especializada.

Mais conteúdo sobre:
Uruguaiana Rio de Janeiro Polícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.