Polícia investiga morte de funcionário em elevador do Galeão

O auxiliar de pista Lucas Teixeira, de 21 anos, morreu no sábado; empresa disse que ele não deveria estar em área do acidente

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2014 | 18h05

RIO - A delegacia de Polícia Civil do Aeroporto Internacional Tom Jobim está investigando a morte do auxiliar de pista Lucas da Conceição Teixeira, de 21 anos, esmagado pela porta do elevador de cargas, no setor de apoio do aeroporto. O acidente ocorreu na tarde de sábado, 6. Foi realizada perícia no local e testemunhas estão sendo ouvidas.

Teixeira era funcionário da Comissaria Rio, empresa que fornece alimentação para companhias aéreas. O trabalho dele era orientar os veículos que transitam na pista. De acordo com a empresa, Teixeira morreu "dentro de um elevador exclusivo para transporte de cargas que fica em uma área onde ele não estava habilitado para atuar". 

O elevador, que funciona com sistema de porta pantográfica, faz a movimentação entre o térreo e o primeiro andar e não poderia levar pessoas. A assessoria da ComRio informou que a manutenção do equipamento está em dia.

O auxiliar de pista trabalhava na empresa há quatro meses e havia passado por treinamentos ministrados pela Infraero. A ComRio está apurando as causas do acidente e informou também que presta assistência à família de Teixeira. O corpo do rapaz foi enterrado na tarde desta segunda-feira.

A concessionária Rio Galeão, que assumiu as operações do Tom Jobim, informou que o espaço é alugado para a ComRio, a quem cabe a responsabilidade de manter a manutenção e conservação dos equipamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
GaleãoRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.