Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Polícia Militar substitui Forças Armadas no Complexo da Maré

Favelas Praia de Ramos e Roquette Pinto já estão ocupadas por PMs; não foram registrados incidentes com traficantes no local

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2015 | 08h46

RIO - As Favelas Praia de Ramos e Roquette Pinto, no Conjunto da Maré, zona norte do Rio de Janeiro, já estão ocupadas pela Polícia Militar, que vai substituir o Exército e a Marinha no complexo após um ano de atuação da Força de Pacificação no local. A PM fez um cerco nos acessos às duas comunidades na noite desta terça-feira, 31, e desde o início desta quarta-feira, 1º, recebeu mais reforços. Não foram registrados incidentes com traficantes.

Ao todo, 220 policiais militares já estavam na Maré havia quatro meses e, até 30 de junho, deve chegar o restante do contingente que vai compor as quatro bases da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Maré. A previsão inicial é de que sejam destacados 1.620 policiais. A Maré é composta por 16 favelas em que moram 140 mil pessoas.

A base da primeira UPP, que vai cobrir as áreas de Praia de Ramos e Roquette Pinto, deve estar pronta em 60 dias, segundo estimativa oficial.

A próxima etapa a ser cumprida pela PM na transição com as Forças Armadas será no dia 1º de maio, na área das Favelas Nova Holanda, Parque União, Parque Rubens Vaz e Nova Maré.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroComplexo da Maré

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.