Polícia pede prisão de acusado de matar agente de trânsito

Crime ocorreu na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio, após acidente de trânsito; motorista atropelou servidor ao tentar fugir

O Estado de S. Paulo

23 Março 2015 | 15h25

RIO - A Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Leandro Rodrigues da Silva, motorista de ônibus acusado de ter atropelado e matado o supervisor da Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio) David Bezerra de Vasconcelos, de 33 anos, no dia 10 de fevereiro deste ano. No inquérito sobre o caso, concluído nesta segunda-feira, 23, Silva foi indiciado por homicídio qualificado. De acordo com o delegado titular da 4ª Delegacia de Polícia (centro), onde o caso foi registrado, as investigações foram baseadas em laudos periciais, imagens e depoimento de testemunhas. 

O crime ocorreu na Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio, após um acidente de trânsito. O fiscal recolhia informações sobre a ocorrência, que envolveu o ônibus e um carro, quando o motorista do coletivo, ao tentar fugir, segundo relatos de testemunhas, o atropelou com o veículo. O ônibus passou por cima de Vasconcelos e de sua moto, segundo testemunhas. O agente de trânsito foi levado em estado grave para o Hospital Souza Aguiar, no centro, e morreu na madrugada do dia seguinte ao atropelamento.

Um dia depois do acidente, a CET-Rio determinou ao consórcio Internorte e à empresa Paranapuan o afastamento do motorista. O consórcio também foi notificado a apresentar as imagens gravadas pelo sistema interno do veículo. Procurada na ocasião pela reportagem, a empresa Paranapuan divulgou uma nota em que afirma: "O motorista Leandro Rodrigues da Silva já foi afastado de suas funções". O profissional estava há seis meses no cargo e, segundo a empresa, não havia informações sobre o seu envolvimento em outros acidentes.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro CET

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.