Márcio Alves/O Globo
Márcio Alves/O Globo

Polícia pede prisão de tenente da PM acusado da morte de espanhola

Outro policial envolvido na ocorrência, um soldado, também foi detido, mas não é acusado de homicídio

O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2017 | 12h03

RIO - A Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro pediu nesta terça-feira, 24, a prisão preventiva do tenente da Polícia Militar Davi dos Santos Ribeiro. 

Ele foi preso em flagrante acusado de matar, com um tiro de fuzil, a turista espanhola Maria Esperanza Jiménez Ruiz, de 67 anos, na manhã da segunda-feira, 23, na Rocinha.

Outro policial envolvido na ocorrência, um soldado, também foi detido, mas não é acusado de homicídio. Ele responderá pelo crime militar de disparo de arma de fogo e não teve a prisão pedida, segundo informações da Globonews.

+++ Agência de turismo pode ser responsabilizada por morte de espanhola

A turista morreu com um tiro no pescoço, depois que o carro em que viajava foi atingido. Os policiais alegaram, ao passar na região do Largo do Boiadeiros, na Rocinha, o motorista do veículo não atendeu a uma ordem para parar e furou o bloqueio. O motorista, o italiano Carlo Zanineta, disse que não viu quando os PMs mandaram que parassem. Outros ocupantes do automóvel disseram o mesmo.

+++ Motorista que levava turista espanhola à Rocinha disse não ter visto bloqueio policial

Maria Esperanza acabara de fazer uma visita turística à favela e descia a comunidade a bordo do veículo, quando foi baleada. A turista chegou morta ao Hospital Miguel Couto.

Os dois policiais militares prestaram depoimento na DH durante a madrugada, entre 1h e 5h desta terça-feira. Ribeiro deixou a Divisão às 8h30 e seguiu escoltado para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, na Região Metropolitana.

 

Mais conteúdo sobre:
Favela da RocinhaHomicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.