Polícia prende acusado pela morte de catequista no Rio

Após uma denúncia anônima, policiais realizaram uma operação no Morro Dona Marta e prenderam o suspeito

27 de dezembro de 2007 | 00h51

A polícia prendeu na noite desta quarta-feira, 26, mais um acusado de ter participado do assalto que resultou na morte da catequista Vitória Lúcia Marques Kurrik, de 55 anos, na noite do dia 2 de dezembro, na Rua da Passagem, em Botafogo, no Rio. José Alexandre da Silva, 37 anos, foi preso após uma denúncia anônima, segundo o Jornal da Globo. Policiais militares realizaram uma operação no Morro Dona Marta, localizado na região do Botafogo. Depois de uma perseguição e troca de tiros, eles detiveram Silva. Um comparsa de Silva, que dirigia o Astra perseguido pela PM, também foi preso e identificado como João Paulo Ferreira de Carvalho, 23 anos. Com os dois, foram apreendidos uma pistola, uma granada e drogas. Segundo a polícia, Carvalho seria sobrinho do traficante Alexandre da Silva Inocente, o "Merenda", que também é acusado de participação no assassinato da catequista Vitória Lúcia. O criminoso permanece foragido. Os dois foram encaminhados para a 14ª Delegacia de Polícia, no Leblon. No começo do mês, a justiça decretou a prisão temporário do motoboy Magno de Oliveira Paiva, 27 anos. Ele foi detido ao ir até uma delegacia para prestar queixa do roubo de seu carro e foi reconhecido por uma testemunha do crime. A religiosa fazia parte da Igreja de Santa Teresinha de Jesus, também em Botafogo, onde, por mais de 20 anos, dedicou-se à formação de crianças que se preparavam para a primeira comunhão. No mesmo assalto que resultou na morte de Vitória, o padre Frank Luis Franciscatto, de 41 anos, foi baleado no braço. Os dois estavam no carro do padre, um Santana Quantum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.