Polícia tem retrato-falado de homem que matou missionária

Homem matou Vitória Lúcia Marques Kurrik e feriu o padre Frank Luís Franciscatto em arrastão no domingo

Clarissa Thomé, de O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2007 | 18h34

A polícia já tem o retrato-falado do homem que matou a catequista Vitória Lúcia Marques Kurrik e feriu o padre Frank Luís Franciscatto, na noite de domingo, num arrastão em Botafogo, na zona sul. O delegado Eduardo Baptista, que investiga o caso, acredita que o criminoso seja da cúpula do tráfico da Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana. De acordo com a testemunha, o criminosos é um homem moreno claro, de 1,75 metro de altura, cabelos raspados e compleição forte. "A testemunha chegou a contar que foi abordada pelo bando. Eles desisitram de levar o carro porque o veículo estava abarrotado, já que a pessoa voltava de viagem", contou Batista. Ainda segundo o delegado, a testemunha viu quatro homens armados, que paravam os carros. Eles fizeram sinal para o padre Frank parar, mas o religioso acelerou. Um deles, então, fez disparos contra o Santana Quantum do padre. Batista disse que o motoboy Magno de Oliveira Paiva, preso na madrugada de terça-feira, foi reconhecido pelo assalto à casa do cineasta Zelito Vianna, no Cosme Velho, no ano passado. O delegado aguarda agora que novas vítimas do bando procurem a polícia.

Tudo o que sabemos sobre:
Vitória Lúcia Marques Kurrik

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.