Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

PMs do Bope são presos acusados de informar tráfico sobre operações

Grupo receberia pagamentos mensais que variavam entre R$ 2 mil e R$ 10 mil; 15 mandatos de busca e apreensão são cumpridos

O Estado de S. Paulo

11 de dezembro de 2015 | 10h48

RIO - Quatro policiais lotados no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tropa de elite da Polícia Militar, foram presos na manhã desta sexta-feira, 11, na Operação Black Evil, acusados de corrupção passiva. Um ainda está sendo procurado. De acordo com as investigações, os agentes informavam antecipadamente sobre operações policiais do Bope aos traficantes de armas e drogas de favelas da Baixada Fluminense, zona oeste e zona norte do Rio. O grupo recebia pagamentos mensais que variavam entre R$ 2 mil a R$ 10 mil.

Os policiais foram investigados entre os meses de agosto e dezembro. O grupo monitorava as operações policiais e informava detalhadamente aos criminosos. Os policiais são acusados ainda de negociar com traficantes armas apreendidas em operações.

Quinze mandatos de busca e apreensão estão sendo cumpridos.

A investigação foi feita Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, pela Corregedoria Interna da Polícia Militar e pela Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar.

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia MilitarBaixada Fluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.