Policial é ferido em troca de tiros acidental em Niterói, diz PM do Rio

Policial à paisana disparou contra carro de outro PM que passava próximo a um tiroteio no Morro do Sabão

Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

12 Fevereiro 2017 | 11h58

RIO - Uma troca de tiros envolvendo dois policiais militares nas proximidades do 12º Batalhão de Polícia Militar (BPM) do Rio, em Niterói, na região metropolitana, terminou com um ferido na manhã deste domingo, 12. 

 A PM informou que um policial militar que trabalha cedido ao Ministério Público (MP) passava de carro pelo 12º BPM na mesma hora em que ocorria um tiroteio no Morro do Sabão, favela próxima ao batalhão. Por causa do tiroteio na favela, o policial que passava de carro foi orientado, por policiais em serviço, a dar marcha à ré.

No momento da manobra, outro policial, que vinha à paisana andando pela rua, “se assustou” e efetuou disparo contra o veículo, informou a PM. De dentro do carro, o policial cedido ao MP reagiu e atingiu o policial que vinha à paisana pela rua. Segundo a PM, o agente ferido trabalha no 12º BPM e estava a caminho da unidade.

A PM informou que o ferido foi levado para o Hospital de Icaraí, em Niterói, e que seu estado de saúde é estável. “Os dois envolvidos na situação já foram ouvidos pelo comando do batalhão, que instaurou um procedimento apuratório para apurar todas as circunstâncias do fato”, informou a PM, em nota.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar (PM) disse que o caso não tem relação com os protestos de familiares que bloqueiam a entrada de unidades policiais desde sexta-feira, 10, em todo o Estado. Os protestos se espalharam por 27 batalhões de todo o Estado do Rio, incluindo interior e região metropolitana.

“Não existe paralisação da Polícia Militar e sim uma mobilização de familiares, iniciada pelas redes sociais. A Corporação está atenta às manifestações e conscientizando a tropa da importância da presença policial nas ruas. O patrulhamento está sendo realizado normalmente, bem como as trocas de turnos”, informa a PM, em nota. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.