Disque-Denúncia/Divulgação
Disque-Denúncia/Divulgação

Policial e traficante morrem durante confronto em Niterói

Segundo a Polícia Militar, viatura foi alvejada por criminosos no Morro do Estado; soldado foi atingido nas pernas e não resistiu

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

27 de abril de 2015 | 09h07

RIO - Um policial militar e um traficante morreram durante uma troca de tiros na noite deste domingo, 26, no Morro do Estado, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia Militar, um carro do 12º Batalhão (Niterói), onde o soldado Wagner dos Santos Proença era lotado, realizava patrulhamento na região quando foi alvejado por traficantes.

Atingido na perna, Proença foi levado para o Hospital Azevedo Lima, em Niterói. Ele chegou a ser transferido para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, também na Região Metropolitana do Rio, mas não resistiu aos ferimentos. 

Na ação, um traficante identificado como Alex da Silva Júlio, o Lequinho Capeta, também morreu baleado. Com ele foi apreendido um fuzil 762. O bandido foi apontado pela polícia como um dos chefes do tráfico na comunidade e, de acordo com o site do serviço Disque-Denúncia, é acusado de homicídio, de participar de um arrastão que terminou com 30 clientes assaltados no restaurante Jambeiros, no bairro de São Domingos, em Niterói, e de um assalto ao restaurante Dona Santa, no Ingá, também em Niterói. Ele estava foragido. 

O caso está sendo investigado pela 77ª Delegacia de Polícia (Icaraí, em Niterói). Wagner trabalhava há seis anos no 12º Batalhão e deixou uma esposa e uma filha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.