Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Policial militar e morador são mortos durante tiroteio na Rocinha

Confronto na noite desta quarta-feira provocou fechamento do Túnel Zuzu Angel, na zona sul do Rio de Janeiro

Fabio Grellet, O Estado de S.Paulo

21 Março 2018 | 23h00

RIO - Duas pessoas morreram durante um confronto entre criminosos e policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, na zona sul do Rio, por volta das 21h30 desta quarta-feira (21). Um morador da favela morreu atingido por uma bala perdida. O outro morto é um policial militar – o 30º a ser assassinado no Estado do Rio neste ano.

+++ Tiroteio na Rocinha volta a assustar moradores e a fechar vias no Rio

Segundo a PM, policiais da UPP faziam patrulhamento pelo Largo do Boiadeiro quando foram atacados a tiros por criminosos. O soldado Felipe Mesquita foi atingido e, embora tenha sido levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon (zona sul), não resistiu aos ferimentos e morreu.

+++ Rio de Janeiro tem novo fim de semana de violência

Antonio Ferreira da Silva, que vendia objetos usados numa região conhecida como Valão, estava atravessando uma passarela próxima ao local do tiroteio quando foi atingido por uma bala perdida e morreu.

O policiamento foi reforçado com a presença de agentes do Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Houve novos tiroteios após a chegada desse contingente, mas às 23h30 os confrontos haviam cessado, segundo moradores relataram pelas redes sociais.

Além do soldado Mesquita, ao longo desta quarta-feira mais dois policiais militares foram mortos no Estado do Rio, em Cabo Frio (Região dos Lagos) e Belford Roxo (Baixada Fluminense). Com eles, já chega a 30 os policiais militares mortos neste ano no Estado do Rio. 

O tiroteio provocou o fechamento do Túnel Zuzu Angel, importante via de ligação entre os bairros da Gávea e de São Conrado, na zona sul do Rio.

+++ Suspeito é morto em confronto com policiais militares na Rocinha

Por volta das 22 horas, as trocas de tiros cessaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.